Pré-história

Minha tão querida L.,

Você ainda não existe para o mundo e ainda não sei ao certo quanto lhe falta para chegar. A minha certeza é que não precisei de nove meses para conceber e parir a idéia de você. Sei que a L. do meu imaginário é apenas um rascunho. A L. obra-de-arte-de-Deus será muito mais divina, com direito a essa redundância.

Por enquanto, o seu formato etéreo me faz imaginá-la entre as estrelas mais distantes; ao mesmo tempo a sinto concreta, como se já no ventre estivesse. Já posso pensar no que será e como será quando nos encontrarmos de fato. Já penso nos primeiros passos, nas segundas palavras, nas terceiras brigas, nas quartas pazes, nas quintas comemorações, nas sextas musicais e no sábado ensolarado. Domingo descanseramos ao luar.

Entendo que você não é só minha. Mas somente meu escudo lhe abrigará e sou egoísta. Por vezes não lembro da colaboração alheia na construção do seu ser. O que não significa que minha gratidão a ele não é eterna – de que outro modo poderia eu usufruir de sua existência? Ao meu lado, o alheio também aproveitará: essa sua maior recompensa.

Imagino você agora, querida L., com as pernas balançando e escutando meus devaneios. Sussurrando no meu ouvido que a pressa não se faz necessária. Você chegará, seja quando for. Está reservada na melhor e mais alta prateleira, onde só eu posso alcançar. Gosto de pensar assim, mas o fato é que é você quem me alcança. Aqui nessa Terra descerá; eu é que não posso subir até você.

L., você é tão maior que eu! Mas seu começo será tão pequeno que caberá nos meus braços. Sua presença já me é tão forte! Mas a fragilidade do seu choro exigirá todos os meus cuidados. E quando finalmente você alcançar meu tamanho, eu é que diminuirei e me aninharei no seu colo, procurando alento na sua experiência jovial.

L., querida, não se demore. Sua própria existência clama por você. E de você, a minha já é dependente.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

3 Respostas para “Pré-história

  1. Valéria

    Gente, que coisa linda!

  2. Leda

    Quando você nasceu, lua e estrelas dançavam à minha volta, o momento tornou-se mágico e nada mais importava . Minha L. , você me faz cada vez mais amar o meu destino. Quando a sua L. chegar, experimentarei um novo sabor, minha história vai se modificar novamente e estarei conectada com o cosmo e com a eternidade, doce e poeticamente.
    Seu talento e criatividade, seu jeito de se expressar unem mente, mãos e coração. E assim nasce mais uma obra. Você dá à luz à sua imaginação, faz nascer sonhos e cria uma arte impressa das mais bonitas.

    Mãe.

  3. Luiz Carlos S.Pereira

    Lorena

    Sua crônica é uma das belas aquarelas sobre um ser inexistente na matéria física, mas já traçada com as cores próprias dos pincéis do sonho.
    Os floristas do céu se revezam para dar a ti uma paisagem humana,corpo e alma unidos florescendo nos jardins das tuas mais nobres esperanças.

    Luiz Carlos S.Pereira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s